Dízimo: é bom participar

IMG_3301.JPG
Foto: Felipe Padilha – RUAH Comunicação

Querido irmão, querida irmã, já alguns anos, o mês de julho, para a Diocese de Caxias, é o mês do dízimo. Por que participar do dízimo? A Igreja nos ensina que ser cristão não é somente ir às celebrações, mas principalmente agir como Cristo, nos preocupando com os mais necessitados, com os irmãos carentes, crianças abandonadas, nossos idosos doentes.

Devemos lembrar que a Igreja somos nós e sem a nossa participação na partilha, não há como desenvolver uma atividade social, pois, “doação” na realidade é a “oração em ação”

Contribuir com o dízimo é reconhecer que tudo o que somos e o que temos tem um único dono: Deus. Devolver e participar do dízimo é cumprir o preceito bíblico que manda viver o amor, sendo grato a Deus e generosos com os irmãos. Não foi a Igreja que inventou o dízimo. Ele nasceu como uma resposta do ser humano à bondade e misericórdia de Deus. É entrega não só de dinheiro ou de bens, e sim da própria vida, com suas alegrias e tristezas, decepções e esperanças.

O dízimo se torna, deste modo, um ato de amor, fonte de bênçãos. A pessoa egoísta, por enxergar apenas a si mesmo, não conhece o valor e a alegria da partilha.   Quem contribui com o dízimo não faz um favor à Igreja, mas assume seu lugar na comunidade, como membro vivo e responsável; torna-se evangelizador, mesmo que não possa, ou nem se dê conta disso.

O próprio ato de contribuir já é evangelizador. E é com o dinheiro do dízimo que se pagam funcionários, água, luz, gasolina, livros, alimentos, auxílio aos mais pobres, enfim tudo o que diz respeito à vida da comunidade e do culto. 

O dízimo é uma Pastoral, por isso é importante que cada comunidade tenha uma equipe do dízimo, que se reúna, converse, cresça na amizade, através da formação, de encontros, celebrações.  E não podemos nos esquecer de apresentar para a comunidade o quanto se arrecadou no mês, no semestre ou no ano e também mostrar o que está sendo feito, com o que é arrecado no dízimo.     

A contribuição com o dízimo irá ajudar a eliminar o pagamento de taxas por ocasião da administração dos Sacramentos. À medida que o Dízimo é implantado e consegue suprir as necessidades da Paróquia, as taxas devem suprimidas gradativamente, pois ninguém gosta de pagá-las, por mais que se justifiquem. Pastoral-do-Dízimo

E você está participando do dízimo em sua Paróquia em sua comunidade? Se a resposta é sim, parabéns, continue. Eu também participo. Se a resposta for não, então comece, ou recomece e sinta a alegria em participar também do dízimo na comunidade de fé. Amo minha Igreja: sou dizimista.

Pe. Renato Ariotti

Pároco da Paróquia Santa Catarina

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s